23/11/2018

A Sulgás recebeu, na manhã de quinta-feira (22), a delegação holandesa composta por executivos das empresas HotSt, Pentair, Green Bio Power, DMT Environmental Technology, Agren New Energy e da Netherlands Enterprise Agency, representada pelo Escritório Holandês de Apoio aos Negócios em Porto Alegre, e pelo especialista em Sustentabilidade, Energias Renováveis e Desenvolvimento, Ruud Paap. O objetivo do encontro foi o de trocar informações para o desenvolvimento do mercado de biogás e biometano no Rio Grande do Sul a partir da experiência holandesa.

A ação fez parte de uma missão técnica ao Estado, promovida pela FIERGS em parceria com a Embaixada dos Países Baixos, em retribuição à visita de delegação gaúcha à Holanda em março deste ano. A primeira atividade da viagem ao RS foi o Workshop Brasil & Holanda de Bioenergia, no último dia 19. Já terça-feira (20), o grupo visitou as instalações da usina da CRVR/Biotérmica, em Minas do Leão, primeira planta a gerar eletricidade a partir do biogás do resíduo urbano depositado em aterro sanitário, em nosso estado. No dia seguinte, o roteiro seguiu para Harmonia, onde está prevista a instalação de uma usina de biometano, em parceria com investidores holandeses, que deverá aproveitar, principalmente, resíduos orgânicos da suinocultura para a produção do gás verde.

Engenheira da Sulgás, Márcia da Rosa (no canto à esquerda), ao lado dos integrantes da delegação holandesa, durante evento na FIERGS

Na Sulgás, a comitiva participou de um café da manhã onde o coordenador de Novos Negócios, Otto Cardoso, apresentou os projetos da Companhia para o desenvolvimento do mercado gaúcho. A ocasião também serviu para conhecer as tecnologias de Biodigestão apresentadas pela Host, e de purificação do biogás, pela DMT. Na parte da tarde, a delegação visitou a usina de biogás e biometano da Ecocitrus, em Montenegro.

Para Richard Posma, do Escritório Holandês de Apoio aos Negócios em Porto Alegre, o objetivo da missão é “trocar informações, dar suporte e aumentar a cooperação entre empresas deste setor, abrindo um novo mercado para as companhias brasileiras”.

O engenheiro Otto, da Sulgás, avalia como extremamente produtiva a visita, tendo em vista a troca de experiências entre os dois países em relação à regulação, tecnologia e desenvolvimento desse mercado. “Na visita à Ecocitrus, o mais interessante foi que a delegação holandesa pode constatar, in loco, como um projeto-piloto, a custos de infraestrutura e tecnologias baixíssimo, pode se estabelecer e se desenvolver ao longo de seis anos. Diferentemente dos projetos europeus, onde o alto investimento e a tecnologia de ponta são preponderantes nos projetos de energias renováveis. Isso demonstra o contraste e um choque de realidade em investimentos para projetos de P&D, de ambos os países”, acrescenta Otto.

Delegação, acompanhada pelos técnicos da Sulgás, recebida pelo diretor da Usina de Biogás e Biometano da Ecocitrus, Albari Pedroso. 

Sobre o mercado holandês

Conforme nota publicada no site da FIERGS, a Holanda tem 17 milhões de habitantes e é considerada a 16ª maior economia do mundo. O país recicla 80% de seus resíduos e, atualmente, grande parte das empresas e residências são atendidas por rede de gás. A Holanda pretende atingir 14% de sua produção de energia com fontes renováveis.

Conforme o representante da Netherlands Enterprise Agency, ligada ao governo do país, Kees Mokveld, apesar dos inegáveis avanços na área, a Holanda ainda tem muito a fazer. “Até 2017, havíamos atingido apenas 6,6% de nossa meta de 14%”, alerta.